Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Um suíço na pele de Adolf Hitler

Bruno Ganz no papel de ’Hitler et Heino Ferch no de Albert Speer. (photo: Constantin Film)

(Keystone)

Em «Der Untergang» (O declínio), produção alemã, o ator suíço Bruno Ganz interpreta o papel do tirano, em seus últimos dias de vida.

O filme, que retrata a personalidade de Hitler, começa a ser exibido quinta-feira (23.09) na Suíça.

As bombas caem à volta do bunker do "Führer". Berlim, capital do "Reino milenar", é só ruínas e desolação. Não se conta mais os mortos nem os feridos. Nos dispensários, faltam curativos, remédios e pessoal.

Os nazistas perderam a guerra e seu guia não tem mais nada para guiar. Hitler ainda acredita na guerra total e manda atacar, sem perceber que suas tropas não têm mais condições de combater.

Durante os últimos doze dias que precedem sua morte, Adolf Hitler, diminuído física e moralmente, é tomado pelo amargor e pelo ódio de enlouquecer. Para o tirano, para os generais que o obedecem servilmente e para os íntimos, a situação é sem saída.

Loucura, commiseração e brutalidade

Hitler se suicida com sua companheira Eva Braun. Goebbels e sua mulher fazem o mesmo, depois de darem doses mortais de cianúrico aos seis filhos.

"O mundo que virá depois do "Füher" e do nacional-socialismo não vale a pena de ser vivido". O ator suíço Bruno Ganz incarna Hitler com essa mescla de loucura onipresente, comiseração e brutalidade que caracteriza o personagem.

Ganz interpreta Adolf e Hitler, o homem e o tirano. Um Adolf charmoso com as mulheres e as crianças, que elogia as refeições e mostra-se amical e paternal. Um Hitler que ordena, fulmina, manda executar inocentes e faz seu próprio povo pagar o preço de seu cinismo. "Se a guerra é perdida, pouco importa que levemos o povo em nossa perda."

«Este homem maquiado, era Hitler»

Para o produtor Bernd Eichinger, Ganz era o primeiro de uma lista de atores possíveis para interpretar o papel de Hitler. Ele queria um ator com autoridade natural capaz de interpretar uma personalidade tão complexa quanto era a do "Führer".

O nome de Bruno Ganz foi o primeiro que lhe veio à mente, conta Eichinger. O ator mostrou-se reservado mas aceitou fazer um teste. "Bruno chegou da maquiagem e o resultado foi tão impressionante que toda a equipe teve um arrepio. Aquele homem, era Hitler!".

De fato, a semelhança entre o ator e Hitler nesse filme é impressionante. Os traços do rosto, os movimentos, a voz, as mãos trêmulas, os acessos de cólera, a megalomania. Ganz nos faz reviver um Hitler autêntico e crível.

Hitler com uma fisionomia humana

«Durante os testes, eu mesmo fiquei surpreso de constatar tamanha semelhança física com Hitler. Fiquei tomado por uma ambição de ator e entrei totalmente nesse papel", explica o ator suíço.

Ganz dá uma fisionomia humana ao monstro. O filme mostra o cotidiano talvez um pouco irreal do "Führer" em seu bunker. Um demônio de grande popularidade, causador de uma guerra mortífera que está perdendo, que chora, abraça, beija, se casa, cuida de pequenos problemas domésticos, demonstra insegurança, acaricia seu cachorro e come humildemente uma sopa.

"Não tive dificuldade nenhuma em mostrar esse Hitler. Quando come uma sopa, o que diferencia um tirano de uma pessoa como você ou eu? Eu não sei", afirma Bruno Ganz.

Uma direção clara

Seja nas cenas dentro do bunker, nos bombardeios do exército vermelho ou no sofrimento da população civil, o filme parece um documentário. A direção de Oliver Hirschbiegel é límpida, precisa e evita o risco dos efeitos fáceis.

«Der Untergang» (O declínio) é baseado no livro homônimo do historiador e escritor Joachim Fest e das memórias da secretária de Hitler, Traudl Junge.

Além de Bruno Ganz, atua no filme toda a elite do jovem cinema alemão. Alexandra Maria Lara faz Traudl Junge, Juliane Köhler incarna Eva Braun, Corina Harfouch é Magnda Goebbels e Ulrich Matthes interpreta Joseph Goebbels.

swissinfo, Andreas Keiser
tradução, Claudinê Gonçalves

Breves

- Bruno Ganz nasceu em Zurique em 1941, de pai suíço e mãe italiana.

- Ele está na Alemanha desde 1962 e, desde 1967, trabalha com Peter Stein no legendário "Berliner Schaubühne".

- En 1991, recebe o prêmio "Hans-Reinhardt-Ring" pela carreira teatral.

- Bruno Ganz já atuou em mais de 60 filmes dirigidos, entre outros, por Wim Wenders, Eric Rohmer, Alain Tanner et Silvio Soldini.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.