AFP

Zinedine Zidane durante a entrevista coletiva na véspera da partida contra o Legia Varsóvia, em 17 de outubro, em Madri

(afp_tickers)

O ex-craque francês Zinedine Zidane, hoje treinador do Real Madrid, se disse "incomodado" com declarações polêmicas do presidente François Hollande sobre jogadores de futebol, que acusa de serem "moleques mal educados" e que "precisam fazer musculação do cérebro".

"Tudo que pode ser dito sobre um jogador de futebol ou atleta em geral gera um certo incômodo para mim. Podemos até ser criticados pelo nosso trabalho, mas não queremos ouvir coisas bizarras", reclamou 'Zizou' em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira.

"Isso me incomoda. Temos que ver o que ele disse exatamente, mas esse tipo de coisa me incomoda", insistiu o herói do título mundial da França na Copa de 1998.

Em livro dos jornalistas Fabrice Lhomme e Gérard Davet que lista declarações informais de Hollande, o chefe de Estado lamenta a falta de "apego" à seleção francesa e considera os atletas "sem referências, sem valores".

"Sem preparação alguma, eles passaram do status de moleques mal educados a estrelas riquíssimas", ressaltou o presidente da França, sugerindo adicionar como atividade nas categorias de base aulas de "musculação do cérebro".

Zidane também aproveitou para sair em defesa do atacante Karim Benzema, que comanda no Real, também alvo de críticas de Hollande por "não ser um exemplo de moralidade".

O camisa 9 'merengue' não é convocado para a seleção francesa desde que foi indiciado por suposta chantagem com vídeo íntimo contra o também ex-jogador dos 'Bleus' Mathieu Valbuena.

"Quando se sabe que a federação já decidiu que ele pode ser convocado novamente, é um problema ouvir tudo que está sendo falado sobre ele. Cada um pode dar sua opinião, mas não concordo com essas declarações", rebateu o treinador.

Zidane também falou sobre o jogo de terça-feira contra o modesto Legia Varsóvia, da Polônia, pela terceira rodada do grupo F da Liga dos Campeões.

"Muita gente acha que tem uma enorme diferença, certamente é o caso, mas temos que mostrar isso em campo. Não existe jogo fácil", resumiu.

"Os dois jogos contra o Legia são importantes para somarmos pontos. É possível que os nosso outros rivais do grupo (Borussia Dortmund e Sporting de Portugal) deixem escapar pontos pelo caminho, então temos que permanecer focados e dar o nosso máximo para evitar qualquer surpresa", completou.

afp_tickers

 AFP