"Camiseta da vergonha" banida em região suíça

As alunas de Genebra protestando contra a "camiseta da vergonha" em 30 de setembro. Uma das meninas está vestindo uma camiseta que diz: "Estou vestida apropriadamente". Keystone

As alunas que forem acusadas de estarem usando roupas inadequadas pela escola não terão mais que se cobrir com camisetas brancas extra-grandes no cantão de Vaud, no oeste da Suíça.

Este conteúdo foi publicado em 06. outubro 2020 - 16:30
swissinfo.ch/fh

Uma passeata começou no final de setembro quando um grupo de alunas de uma escola de Genebra (com alunos de 12-15 anos) foram instruídas pela direção da escola a vestirem as camisetas depois que chegaram à escola vestindo tops. Se tivessem recusado, elas teriam sido mandadas para casa, o que constitui uma grave violação dos regulamentos escolares e poderia ter tido um impacto nas notas anuais.

Em reação, elas fizeram uma manifestação em frente ao prédio da escola e contaram com a presença de pais e representantes de organizações feministas.

Alunas de outros cantões relataram práticas similares. "Fui enviada ao secretariado para pegar uma camiseta - essas camisetas enormes até os joelhos. Nós as chamamos de 'camisetas da vergonha'. Eles me disseram que eu deveria vesti-la para me proteger, mas de quem? Eu nunca me senti ameaçada por ninguém", disse Luna, ex-aluna de uma escola em Sion, cantão do Valais, à rádio pública suíça RTS.

A prática também foi utilizada em algumas escolas do cantão de Vaud.

Na segunda-feira Cesla Amarelle, secretária de educação do cantão, disse que a Secretaria de Educação havia conduzido uma verificação e descobriu que a prática havia sido utilizada em alguns estabelecimentos de Vaud.

"Não havia nada escrito nas camisetas como em Genebra, mas ainda é percebido pelas jovens como estigmatizante". Portanto, decidimos proibir esta prática", disse.

Humilhante

Amarelle insistiu na necessidade de estabelecer um diálogo com as alunas. "Deve ficar claro que existe uma estrutura a ser respeitada, inclusive do ponto de vista vestimentário", disse, ressaltando que muitas escolas do cantão de Vaud haviam encontrado maneiras de resolver a questão sem recorrer a uma punição que era considerada humilhante.

Amarelle também explicou que era necessário ouvir aquelas jovens que se rebelavam contra a ideia de seus corpos serem sexualizados na escola. "Isto também é algo que os meninos e professores precisam ouvir", observou.

Os alunos e alunas das escolas públicas não precisam usar uniformes escolares na Suíça. No entanto, muitas escolas têm algum tipo de código vestimentário.

Por outro lado, o debate sobre o que constitui o "traje apropriado" parece continuar.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo