Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

"Mercado de mídia suíça é fortemente concentrado"

Pierre Lamunière e Pietro Supino selam a fusão de seus grupos Edipresse e Tamedia (3/03/09).

(Keystone)

A fusão da Tamedia com a Edipresse cria o maior grupo de mídia da Suíça, à frente do império Ringier e da editora do Neue Zürcher Zeitung, principal jornal do país.

"Os meios de comunicação conseguem sobreviver mais facilmente a tempos difíceis quando dominam um mercado monopolizado", diz o especialista Josef Trappel, da Universidade de Zurique.

swissinfo: O que significa para o mercado midiádico suíço a fusão da Tamedia com a Edipresse, anunciada esta semana?

Josef Trappel: Com essa fusão surge a maior empresa jornalística da Suíça. Isso envolve um crescimento que permite ao líder do mercado fazer pressão sobre os preços. A Tamedia poderá realizar sinergias principalmente nas áreas de impressão, anúncios e vendas. Jornalisticamente haverá menos sinergias, isso por causa das diferentes línguas (alemão e francês).

A fusão tem uma consequência direta para o mercado de jornais gratuitos da Suíça francesa: até agora, o 20 minutes (da Tamedia) e Le Matin bleu (da Edipresse) eram concorrentes. Um dos dois jornais será fechado e com isso diminui a diversidade publicística.

As empresas argumentam que precisam dessas sinergias para sobreviver. Críticos temem a redução da diversidade de opiniões. Quem tem razão?

O setor de mídia como um todo enfrenta um período difícil. O número de leitores e a receita de publicidade diminuem. No momento, há crescimento apenas na internet – em nível baixo – e no jornal gratuito 20 Minuten. Mas também esse crescimento é menor do que nos anos anteriores.

Nesses tempos difíceis, os meios de comunicação conseguem sobreviver mais facilmente quando dominam um mercado monopolizado. Esse é o caso hoje em muitas regiões da Suíça. Por exemplo, em Berna não há alternativa à editora Espace Media, que também é controlada pela Tamedia. Esses meios monopolizados conseguem sobreviver também sem grandes fusões. A compra de concorrentes frequentemente leva à perda da diversidade de opinião. No caso Tamedia-Edipresse teme-se menos isso, porque a fronteira lingüística freia as sinergias publicísticas.

Quão concentrado é o mercado dos meios de comunicação na Suíça?

Fora a região metropolitana de Zurique e partes da Romandia, pode-se falar de um mercado de mídia fortemente concentrado. Muitas regiões são dominadas por uma única empresa de mídia, que controla tanto o jornal dominante quando a TV e o rádio regionais. Nessas regiões, a única alternativa é a rádio e televisão públicas.

Mas a lei proíbe a Sociedade Suíça de Radiodifusão (SRG) de fazer noticiário regional na TV – este mercado é reservado exclusivamente à concorrência privada. Essa restrição faz com que nas regiões monopolizadas haja um verdadeiro monopólio da empresa midiática dominante.

Os meios de comunicação suíços estão mais concentrados do que em outros países europeus?

Não. O processo está muito avançado em muitos países, a Suíça não é uma exceção. Na Áustria, por exemplo, a concentração da mídia é bem maior do que na Suíça. Também em partes da Alemanha, França e Itália a concentração da mídia é muito elevada.

Qual é o papel dos meios de comunicação públicos nesse contexto?

Na Suíça existe com a SRG uma empresa de comunicação que tem emissoras de rádio e televisão em todo o país. A SRG tem a obrigação legal de oferecer uma programação que tenha a qualidade e a diversidade como valores centrais.

Desde meados dos anos de 1980 existem emissoras de rádio e televisão comerciais. Em regra, elas são controladas pelas editoras dos jornais regionais. Em alguns casos, elas dominam uma grande fatia do mercado regional, mas não desempenham qualquer papel em nível nacional. Nesse plano, a SRG domina tanto o rádio quando a televisão.

A Comissão Federal Antritruste ainda precisa aprovar a fusão entre Tamedia e Edipresse. O que o senhor sugere à autoridade antitruste?

A Comissão Antritruste analisa apenas os mercados relevantes. E esses quase não se tangenciam, à exceção dos jornais gratuitos. Por isso, acredito que a fusão será autorizada.

swissinfo, Geraldo Hoffmann

Os três grandes

Ringier, Tamedia e Edipresse são os três maiores grupos privados de mídia da Suíça (faturamento em milhões de francos suíços em 2007).

Ringier
Na Suíça
Faturamento: 557,7
Funcionários: 3.295
Mundialmente
Faturamento: 1,458 bilhão
Lucro: 102,7 milhões
Funcionários: 7.016

Tamedia:
Lucro: 143 milhões (recorde, +45%).
Faturamento: 772 milhões (+17%).
Funcionários: 1.600

Edipresse:
Lucro: 32 milhões (+7,3%).
Faturamento: 815 milhões (-8,1%).
Funcionários: 3.387

Aqui termina o infobox

Josef Trappel

O professor Josef Trappel é direitor-executivo do IPMZ transfer (Instituto de Ciências Publicísticas e Pesquisa da Mídia – Centro de Transferência de Conhecimentos) da Universidade de Zurique.

Ele é um dos autores do livro Concentração da Mídia na Suíça – Formas, Consequências e Regulamentação.

Aqui termina o infobox

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

Suas perguntas se transformam em nossas matérias

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.