Navigation

O capitalismo de intervenientes é a resposta?

Oliver Klassen, porta-voz da ong suíça Public Eye, critica o novo manifesto de Davos, lançado pelo Fórum Econômico Mundial (WEF) para coincidir com o 50º aniversário do encontro de elite em Davos.

Este conteúdo foi publicado em 16. janeiro 2020 - 15:47

O manifesto promove a ideia do chamado "capitalismo de intervenientes", onde as grandes corporações cooperariam com a sociedade e não se limitariam mais apenas a buscar o lucro.

Public Eye, antes conhecida pela denominação "Declaração de Berna", lançou sua plataforma em Davos pouco após os protestos de 1999 por ocasião de uma reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Seattle, EUA.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.