Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

25 anos de amores entre Fribourg e Nova Friburgo

No encontro, descendentes de suíços em Nova Friburgo mostram suas origens através dos nomes de família (foto: www.novafribourg.ch)

A incrível aproximação entre estas duas cidades gera descobertas, laços de amizade, rasgos de generosidade e intercâmbio cultural.

Tudo começou em 1973.

"Duas cidades, um só coração". Este o lema adotado por associações brasileira e suíça, que vêm alimentando uma crescente aproximação entre a cidade fluminense, fundada por suíços, em 1818, e a multissecular Fribourg, de onde partiu a maioria dos 2006 futuros colonos em busca de dias melhores no Brasil.

Tiro de partida

Durante um século e meio, Friburgo, a nova, e Fribourg, a antiga, se ignoram. Mas tudo vai mudar a partir de 1973, quando uma tese universitária conta em detalhes as circunstâncias da iniciativa.

A tese, intitulada "La Genèse de Nova Friburgo", publicada em livro é o tiro de partida dessa aproximação. O interesse em conhecer o autor, Martin Nicoulin, a primeira viagem de uma caravana de 261 suíços a Nova Friburgo em 1977 e, no ano seguinte, a fundação simultânea da Associação Fribourg-Nova Friburgo e da sua congênere, Nova Friburgo-Friburgo – com o objetivo de "manter e reforçar os laços de amizade" – deslancharam de vez o processo.

Ajuda aos "primos"

Desde que na Suíça, em particular os friburguenses descobriram, na obra de Nicoulin e no contato com os brasileiros de Nova Friburgo, que a história da cidade os tocava de perto, participaram de diferentes iniciativas para ajudar esses "primos" distantes.

Os projetos mais espetaculares foram a fundação de uma Queijaria Escola em 1987 e de uma Casa Suíça – que inclui memorial da imigração e uma sala de conferência e espetáculos – em 1996.

Mas nesses 25 anos, vários empreendimentos – mais discretos – como a inauguração de um lar para deficientes mentais, fundação de escolas primárias, incentivos culturais e intercâmbio de alunos, além de viagens em grupo, nas duas direções – da Suíça ou do Brasil – por diferentes motivos ou pretextos (ver Histórico), representaram etapas dessa aproximação bilateral.

Busca de raízes

Algumas iniciativas partiram de simples curiosidade, mas a maioria levou a descobertas, a abertura de espírito e mesmo a verdadeiras amizades, realizando-se em pouco tempo o que a diplomacia levaria anos e anos para concretizar.
Um aspecto que chamou particularmente a atenção foi o interesse demonstrado por muitos brasileiros de origem suíça de encontrarem suas raízes.

Como a obra de Martin Nicoulin é de micro-história – com a descrição pormenorizada das famílias e indivíduos que emigraram para Nova Friburgo no século XIX, inclusive dos instrumentos de trabalho que levaram – os descendentes puderam saber exatamente de onde eram originários seus antepassados.

Esse interesse surgiu já antes de o livro A Gênese de Nova Friburgo ser publicado em português, em 1996, mas persistiu depois, coincidindo com uma fase da História em que, pelo menos no mundo ocidental, diferentes valores de referência caíram por terra e quase todo o mundo buscava em que se agarrar. As raízes tornaram-se uma dessas referências valorizadas. Nesse sentido o livro prestou um serviço exemplar.

Hoje existem em Nova Friburgo associações de famílias de descendentes e até livros dedicados ao assunto.
Em outras partes do Brasil, nota-se também a preocupação com a busca das raízes. Mas, certamente, Nova Friburgo figura, pioneiramente, nessa busca.

swissinfo, J.Gabriel Barbosa


Links

×