Navigation

África do Sul quer ser sede de futuro banco de desenvolvimento dos Brics

Líderes do BRICS são vistos juntos durante cúpula em Durban, em 27 de março de 2013 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. julho 2014 - 18:21
(AFP)

Johannesburgo continua na disputa para abrigar a sede do banco de desenvolvimento que os Brics pretendem criar na cúpula que acontece no Brasil na próxima semana, comunicou o ministro sul-africano de Comércio e Indústria.

"Não houve decisão sobre a sede do banco", declarou Rob Davies à imprensa, respondendo ao anúncio do Kremlin, que na quinta-feira havia indicado que a sede do banco comum seria em Xangai.

"A África do Sul comunicou seu desejo de propor Johannesburgo como sede do banco (...) Os chefes de Estado concordaram em chegar a uma decisão (sobre o local da sede) na cúpula realizada por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul nos dias 15 e 16 de julho em Fortaleza, destacou o ministro.

Davies disse que, como o novo banco de fomento não vai se limitar aos cinco integrantes dos Brics, sua localização na metrópole financeira sul-africana seria "uma grande vantagem" para facilitar os projetos na África.

O ministro russo de Finanças, Anton Siluanov, afirmou na quarta-feira que as potências emergentes do grupo vão assinar na cúpula a criação de seu próprio banco de desenvolvimento, com funções semelhantes às de outras instituições internacionais em que esses países não se sentem bem representados, como o FMI e o Banco Mundial.

Também se espera a criação nesta cúpula de fundo de divisas, uma espécie de "mini-FMI", segundo Siluanov.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.