Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Velas são acesas em Viena no local da antiga sinagoga destruída na Noite dos Cristais

(afp_tickers)

O presidente austríaco, Alexander Van der Bellen, fez um apelo contra a intolerância nesta quinta-feira, por ocasião do 80º aniversário da "Noite dos Cristais", o ataque perpetrado em 1938 pelos nazistas contra os judeus na Alemanha e Áustria.

Van der Bellen fez o apelo durante uma cerimônia no local da antiga sinagoga de Leopoldstadt, que foi o local de culto judeu mais importante de Viena até ser destruído durante os dois dias de violência antissemita, em 9 e 10 de novembro de 1938.

"Devemos olhar a história como um exemplo de até onde podem levar as políticas de bode expiatório, de incitação ao ódio e de exclusão", declarou Van der Bellen.

O ataque orquestrado pelos nazistas deixou ao menos 30 mortos na Áustria anexada e 91 em todo o Terceiro Reich. Em torno de 7.800 judeus foram detidos e 4.000 foram deportados para o campo de concentração de Dachau.

Apesar de a história não se repetir exatamente igual, existem situações e retóricas políticas que "indicam semelhanças", advertiu Van der Bellen.

"Fiquemos alertas para que as degradações, perseguições e supressões de direitos jamais se repitam em nosso país ou na Europa", disse o líder austríaco.

Durante a cerimônia foi inaugurada uma instalação luminosa, uma das 25 criadas em Viena para marcar os locais onde haviam sinagogas destruídas pelo ataque.

A comunidade judaica de Viena recordou nesta quinta a "Noite dos Cristais" com uma passeata chamada "Luz de esperança".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP