Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldados do exército indiano, no dia 23 de janeiro de 2017 em Nova Déhli

(afp_tickers)

A Índia aumentou a presença militar na sua fronteira nordeste com a China, em meio a um desacordo fronteiriço em uma área estratégica da Cordilheira do Himalaia, que causa uma forte tensão entre os dois países, anunciou nesta sexta-feira um funcionário indiano citado pela imprensa.

"Os efetivos militares ao longo da fronteira com a China nos setores [dos estados indianos] de Sikkim e de Arunchal aumentaram", declarou um funcionário do governo indiano citado pela agência PTI.

O nível de alerta para os soldados também aumentou, indicou o responsável, cujo nome não foi revelado.

Entretanto, de acordo com este responsável, a Índia não enviou efetivos suplementares à zona situada entre as fronteiras de Índia, China e Butão, onde 350 militares indianos e soldados chineses permanecem próximos em um ambiente tenso.

Um desacordo fronteiriço opõe os dois países desde que a Índia enviou soldados em junho a esta zona estratégica reivindicada por China e Butão, para bloquear a construção de uma estrada por parte do Exército chinês.

O envio das Forças Armadas pela Índia, aliada de Butão, aumentou a tensão, fazendo com que a China anunciasse o reforço de sua presença militar nesta área que considera ser sua, e exigindo a retirada das tropas indianas.

AFP