Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Trump conversa com artistas de uma ópera na Cidade Proibida, em Pequim

(afp_tickers)

A China reservou nesta quarta-feira uma acolhida suntuosa para o presidente americano, Donald Trump, em sua primeira visita ao país asiático, onde ele pôde saborear um chá na Cidade Proibida, em Pequim, e assistir a uma ópera tradicional.

O chefe de Estado e sua esposa Melania desembarcaram do avião presidencial Força Aérea Um no meio da tarde, os dois usando sobretudos em sua chegada à capital chinesa, onde a temperatura mal superava os 10 ºC.

Depois de passar pelo tapete vermelho estendido para a ocasião, o casal presidencial foi recebido por várias crianças que agitavam bandeirinhas dos Estados Unidos e da China.

Em seguida, se dirigiram para a Cidade Proibida, a antiga residência oficial dos imperadores, com uma superfície de 720.000 metros quadrados, onde tomaram um chá na companhia do presidente chinês Xi Jinping e de sua esposa, a cantora Peng Liyuan.

Trump aproveitou a ocasião para pegar seu tablet e mostrar orgulhosamente ao casal chinês um vídeo de sua neta, onde a menina de seis anos aparece cantando em mandarim e recitando um poema antigo, segundo a agência de notícias oficial chinesa Xinhua.

Xi Jinping elogiou o talento de Arabella Kushner, filha de Ivanka Trump e de Jared Kushner, e disse que a apresentação merecia um "A+".

Em seguida, os dois casais, sorridentes, mas calados, subiram as escadas de pedra que levam à monumental porta de entrada da Cidade Proibida, enquanto o sol se punha, refletindo no ouro dos pavilhões adjacentes.

Em um dos laboratórios de conservação visitados, Trump elogiou os reparos feitos em um armário de 300 anos usado por um imperador, e ficou maravilhado com um relógio, antiguidade rara. "Inacreditável", comentou.

Os dois casais dirigiram-se depois para o Hall do Cultivo do Caráter, para uma apresentação artística.

Trump e Melania assistiram um espetáculo de ópera e acrobacias, com trajes coloridos, plumas de pavão real e um lançamento de confetes e pétalas de rosas, que fizeram o presidente americano sorrir.

"Bem-vindos à China! Amamos vocês!", gritaram as crianças ao final da representação.

Trump, em seguida, posou com elas para uma foto.

"Estamos nos divertindo muito, obrigado", declarou o presidente americano à imprensa.

O segundo dia de visita de Trump ao país talvez não seja tão agradável, já que serão abordadas várias questões delicadas: o programa nuclear da Coreia do Norte, aliada da China, e o enorme déficit comercial dos Estados Unidos em relação ao país asiático.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP