Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fachada do prédio do Metropolitan Opera de Nova York, em 29 de julho de 2014.

(afp_tickers)

Após várias semanas de negociações, o conflito salarial do Metropolitan Opera de Nova York parece ter chegado ao fim nesta segunda-feira, com um acordo entre a direção e os dois principais sindicatos.

"Estamos felizes de anunciar que, nesta semana, o Met chegou a novos acordos com a orquestra do Met e com o coro", declarou em um comunicado a direção de uma das mais famosas óperas do mundo.

Conhecido como "Met", o Metropolitan Opera de Nova York tem um orçamento - US$ 326 milhões em 2013 - superior ao de seus colegas europeus. Entretanto, o grupo nova-iorquino enfrenta problemas financeiros, já que seus gastos aumentaram, e as vendas dos ingressos caíram nas últimas quatro temporadas.

Diante da crise, o diretor-geral da instituição, Peter Gelb, propôs um corte salarial de 17%, além da redução das aposentadorias e da cobertura do plano de saúde.

Os sindicatos acusaram Gelb de tomar decisões ruins em relação à programação. Desde que ele assumiu o cargo em 2006, o número de novas produções tem crescido.

A mediadora federal, Allison Beck, disse que os acordos alcançados nesta segunda são resultado de "negociações difíceis e complexas" e ainda precisam ser ratificadas pelos membros do sindicato. Os detalhes das negociações não foram divulgados.

A direção do Met informou que estendeu até meia-noite de terça-feira o prazo para que outros sindicatos "assegurem novos acordos com a instituição".

Os contratos de trabalho deveriam ser renovados em 31 de julho, mas a renovação foi adiada várias vezes em meio à disputa que ameaçou fechar as portas da ópera.

"Ainda temos a esperança de que a temporada 2014-2015 comece pontualmente no dia 22 de setembro", afirmou o texto.

O Met emprega cerca de 1.600 pessoas em tempo integral e 1.700 em regime temporário. O coro tem 80 cantores, e a orquestra, 97 músicos.

Os custos com mão de obra representam dois terços de seu orçamento. Os músicos ganham uma média de US$ 205 mil por ano, incluindo US$ 85 mil em benefícios, como auxílio-doença.

AFP