Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente mexicano, Enrique Pena Nieto

(afp_tickers)

O ministério mexicano da Administração Pública, órgão anticorrupção do país, determinou que nem o presidente Enrique Peña Nieto nem o ministro das Finanças, Luis Videgaray, incorreram em conflito de interesses na compra de luxuosas casas junto a concessionárias públicas.

"Foi determinado que não houve nenhum conflito de interesses já que nem Peña Nieto, nem Videgaray incorreram em qualquer ação parcial relacionada com suas atribuições públicas ou participaram de alguma forma nos contratos", declarou o ministro da Administração Pública, Virgilio Andrade.

Uma investigação foi iniciada há seis meses após um jornal revelar em novembro que a primeira-dama, Angelica Rivera, tinha adquirido uma mansão de quatro milhões de dólares de uma das principais concessionárias do governo antes da vitória eleitoral de Peña Nieto em 2012.

Posteriormente, soube-se que Peña Nieto e seu próprio ministro Videgaray haviam feito compras semelhantes no passado.

Para resolver a polêmica, Peña Nieto pediu em fevereiro que investigassem os contratos públicos para determinar se essa empresa foi beneficiada em processos de concessão.

Em sua investigação, Andrade determinou que não houve conflito de interesses porque todas as casas foram adquiridas antes de Peña Nieto e Videgaray se tornarem funcionários federais e as condições de compra das casas não foram posteriormente modificadas em seu favor.

A investigação tem enfrentado suspeitas desde o início, uma vez que Andrade é membro do gabinete de Peña Nieto, já teve cargos pelo partido governista PRI e reconheceu ter um relacionamento pessoal com Videgaray.

AFP