Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ruth Pfau, uma freira alemã que dedicou sua vida ao combate da hanseníase no Paquistão, faleceu aos 87 anos

(afp_tickers)

Ruth Pfau, uma freira alemã que dedicou sua vida ao combate da hanseníase no Paquistão, faleceu aos 87 anos.

Pfau, que era conhecida localmente como a Madre Teresa paquistanesa, chegou a Karachi nos anos 1960 e passou aproximadamente meio século cuidando das pessoas mais doentes e pobres do país.

Ela foi a fundadora do Marie Adelaide Leprosy Centre em Karachi, local que funcionava como centro de tratamento da doença. Nele, a missionária recebeu cuidados até a hora em que morreu, após ter passado duas semanas doente.

Mervyn Lobo, que chefia o centro, contou à AFP que ela faleceu na quarta-feira (9), no fim do dia. Ela deverá ser enterrada após o funeral.

O primeiro-ministro, Shahid Khaqan Abbasi, lamentou a morte de Pfau, comentando que "ela pode ter nascido na Alemanha, mas seu coração sempre esteve no Paquistão", disse.

Em colaboração com o governo, Pfau expandiu o número de centros de tratamento da hanseníase em mais de 150 cidades em todo o território paquistanês, treinando médicos, tratando milhares de doentes e ajudando a estabelecer um programa nacional em combate à proliferação da doença.

Ela recebeu do país dois dos mais importantes prêmios civis, o Hilal-e-Imtiaz e o Hilal-e-Pakistan.

Desde o fim da Segunda Guerra que a nativa da Alemanha decidiu dedicar a sua vida a salvar a humanidade, tornando-se médica e participando da ordem Heart of Mary, fundada durante a Revolução Francesa.

Pfau também auxiliou com seu trabalho no cuidado das vítimas depois de uma violenta inundação em 2010, que deixou milhões de pessoas desabrigadas.

AFP