Navigation

'Mank' lidera indicações ao Oscar em ano de recordes para as mulheres

A cerimônia do Oscar foi adiada para 25 de abril devido à pandemia de covid-19 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. março 2021 - 15:09
(AFP)

"Mank", ode em preto e branco à era de ouro de Hollywood, lidera a corrida pelo Oscar com 10 indicações, incluindo melhor filme e diretor, em uma edição do prêmio em que as mulheres bateram recordes.

O longa de David Fincher sobre o roteirista Herman J. Mankiewicz e a criação de "Cidadão Kane", produzido pela Netflix, supera outros seis filmes que receberam seis indicações cada, incluindo o road movie "Nomadland" e o drama de tribunal "Os 7 de Chicago".

Em um ano em que 70 mulheres receberam 76 indicações, um número sem precedentes, duas cineastas competem pela cobiçada estatueta de melhor direção: Chloe Zhao ("Nomadland") e Emerald Fennell ("Bela Vingança").

A cerimônia da 93ª edição do Oscar, o auge da temporada de prêmios de Hollywood, foi adiada para 25 de abril devido à pandemia de covid-19.

Zhao, nascida em Pequim, é a primeira mulher não branca indicada ao prêmio de direção.

Aaron Sorkin ("Os 7 de Chicago") teve que se conformar com a indicação a melhor roteiro adaptado. Além de Fincher, também foram indicados a melhor diretor o dinamarquês Thomas Vinterberg ("Druk - Mais Uma Rodada") e Lee Isaac Chung ("Minari").

Outro filme com seis indicações é o drama sobre os direitos civis "Judas e o Messias Negro", incluindo as categorias de melhor filme e melhor ator coadjuvante, para Daniel Kaluuya e LaKeith Stanfield.

Os demais filmes com seis indicações são o drama de imigrantes coreano-americano "Minari", a comovente crônica sobre um idoso com demência "Meu Pai", pelo qual Anthony Hopkins foi indicado pela sexta vez na categoria melhor ator, e "O Som do Silêncio", sobre um baterista de rock que perde a audição.

Antes do anúncio das indicações, o presidente da Academia, David Rubin, confirmou que o Oscar acontecerá na histórica estação ferroviária Union Station de Los Angeles e no Teatro Dolby de Hollywood, a sede tradicional.

A atriz Priyanka Chopra Jonas e seu marido, o cantor pop Nick Jonas, anunciaram a lista de indicados em uma transmissão ao vivo de Londres.

- Netflix bate recorde -

Com seus múltiplos filmes, cuja audiência foi impulsionada pelos confinamentos ligados à pandemia, a Netflix domina as indicações para essa edição do Oscar, com um total de 35, um recorde.

Até hoje, nenhum filme produzido por uma plataforma de streaming ganhou o cobiçado Oscar de melhor filme. Desta vez, a Netflix está por trás de dois dos oito filmes indicados: "Mank" e "Os 7 de Chicago".

A Amazon Prime marca presença na prestigiosa categoria com "O Som do Silêncio" e também obteve três indicações por "Uma Noite em Miami" e mais duas pela comédia "Borat: Fita de Cinema Seguinte".

A Netflix também é responsável por "A Voz Suprema do Blues", sobre a cantora dos anos 1920 Getrude "Ma" Rainey.

O filme rendeu a Chadwick Boseman uma rara indicação póstuma de melhor ator - ele faleceu vítima de câncer em agosto. Boseman tinha chance de uma segunda indicação como ator coadjuvante por "Destacamento Blood" de Spike Lee, também do Netflix, mas o filme só vai disputar a estatueta de trilha sonora.

Devido ao coronavírus, os quase 10.000 profissionais que decidem as indicações foram obrigados a assistir quase todos os filmes em disputa na plataforma online da própria Academia.

"Já estamos quase acostumados com o streaming", disse um dos eleitores, que tradicionalmente defendia a experiência de ver o filme na tela do cinema.

- "Nomadland", o favorito -

Apesar do avanço das plataformas, o grande favorito é "Nomadland", que venceu os principais prêmios nos festivais de Veneza e Toronto, além de ter dominado o Globo de Ouro e o Critics Choice Awards.

Road movie intimista e contemplativo, o filme de Chloe Zhao foi produzido pela Searchlight, uma subsidiária da Disney que esteve por trás do triunfo no Oscar de "A Forma da Água" e "Birdman".

"'Nomadland' parece ser o favorito", afirmou o membro da Academia.

Zhao é a primeira mulher a receber quatro indicações em apenas um ano: direção, montagem, roteiro original e como produtora na categoria melhor filme.

O diretor do filme "Contágio", Steven Soderbergh, produzirá a cerimônia deste ano, afetada pela pandemia, que terá um número recorde de candidatos potenciais (366) depois que a Academia decidiu admitir mais títulos de streaming e filmes que estrearam no início de 2021.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.