Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O "Model S" da Tesla em São Francisco, no dia 9 de agosto de 2016

(afp_tickers)

Tesla sofreu nesta quinta-feira um novo revés quando o seu sedã "Model S" fracassou nos testes de segurança de um organismo independente, informação revelada em um momento em que Wall Street começa a se questionar sobre seu crescimento.

Segundo o Insurance Institute for Highway Safety (IIHS), organismo financiado pelas companhias de seguro, o "Model S", um dos modelos comercializados pela Tesla junto com o "Model X", não passou nos testes de segurança, que consistem em avaliar a resistência de um veículo em cinco situações de perigo tais como um choque contra uma árvore ou um poste.

Como consequência, a marca especialista em veículos elétricos, acostumada a ter boas qualificações em termos de segurança, não conseguiu a nota máxima na escala do IIHS.

Essa é a segunda vez que o "Model S", cujo preço de base é 70.000 dólares, se submete a um teste da agência, após uma primeira vez na qual também não obteve a melhor classificação.

O IIHS afirmou que, em ambas as sessões de testes, o cinto de segurança não conteve o motorista o suficiente a ponto de evitar que se movesse durante o acidente.

Os resultados destes testes chegam em um momento em que surgem as primeiras dúvidas sobre as perspectivas de futuro da Tesla, que há três meses passou a ser o primeiro grupo automobilístico dos Estados Unidos em valor de mercado, à frente da General Motors, apesar de produzir menos de 100.000 carros por ano.

AFP