O romance de Victor Hugo "Notre-Dame de Paris" tornou-se o número um de vendas pela internet e em muitas livrarias a obra está esgotada desde o terrível incêndio que destruiu parcialmente na segunda-feira a mundialmente famosa catedral parisiense.

Após os ataques de 13 de novembro de 2015 em Paris, o mesmo fenômeno foi observado com o livro "Paris é uma festa" do americano Ernest Hemingway.

Diante da demanda, os editores do romance em formato de bolso decidiram lançar novas tiragens e doar os lucros ao fundo lançado para financiar a reconstrução do edifício.

Escrito em 1831, "Notre-Dame de Paris", do poeta e romancista francês Victor Hugo, se passa em 1482 na época do reinado de Luís XI. O romance foi adaptado muitas vezes ao cinema.

Uma passagem no romance é particularmente digna de nota hoje.

"Todos os olhares se dirigiam para a parte superior da catedral e era algo extraordinário o que viam: na parte mais elevada da última galeria, acima da rosácea central, uma grande chama subia entre os campanários com turbilhões de faíscas, uma grande chama revolta e furiosa".

Em torno dos personagens Quasimodo e da cigana Esmeralda, Victor Hugo fez da catedral a verdadeira heroína de "Nossa Senhora de Paris", com o objetivo de chamar a atenção sobre o estado de decrepitude do monumento.

Na época, o sucesso da obra provocou um movimento cidadão que foi capaz de fazer com que as autoridades reabilitassem a catedral.

O romance "Notre-Dame de Paris" também está disponível gratuitamente e legalmente na Gallica, biblioteca digital da Biblioteca Nacional da França (https://gallica.bnf.fr).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.