Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Logo do Obamacare é visto na porta da agência UniVista Insurance, em Miami, na Flórida, em 10 de janeiro de 2017

(afp_tickers)

O presidente americano, Donald Trump, declarou, nesta segunda-feira (16), que o projeto de reforma do sistema de saúde de seu antecessor, conhecido como Obamacare, está morto, depois dos cortes de subsídios que impôs às seguradoras.

"O Obamacare está acabado. Está morto. Acabou", disse Trump a jornalistas.

"Acabou. Esse tal de Obamacare não existe mais. É - e eu disse isto anos atrás - é um conceito que não poderia ter funcionado. Não poderia ter funcionado em seus melhores dias", acrescentou.

Desde que assumiu a Presidência, em janeiro, Trump tem buscado de forma persistente por fim à Lei de Proteção e Cuidado ao Paciente (PPACA ou ACA), mais conhecida como Obamacare, reduzindo parte do apoio orçamentário do governo e pressionando o Congresso a substituí-la.

No entanto, seus esforços no Congresso falharam, e na semana passada levaram Trump a determinar um fim ao programa de "redução de custo compartilhado" (CSRs, na sigla em inglês), ou seja, pagamentos a seguradoras destinados a ajudar milhões de americanos de baixa renda a conseguir arcar com uma cobertura de saúde.

"Eu derrubei a CSRs; era um subsídio a companhias de seguro. Foi um presente", disse Trump.

"As companhias de seguro fizeram uma verdadeira fortuna com o Obamacare", afirmou.

Mas, Trump disse que para proteger as pessoas que vão perder seus seguros, a Casa Branca está trabalhando com o Congresso em "algum tipo de reparo de curto prazo" antes de apresentar um plano de longo prazo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP