Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foto cedida em 16 de outubro de 2017 pela Britain's National Crime Agency (NCA) mostra o cientista britânico Matthew Falder

(afp_tickers)

Um cientista britânico se declarou culpado por 137 infrações penais cometidas na internet, entre elas a incitação ao estupro de um menino de quatro anos, informou nesta segunda-feira (16) a agência nacional de criminalidade (NCA).

Matthew Falder, de 28 anos, era chamado de "evilmind" e "666devil" na internet, e se fazia passar por uma mulher, uma artista, para se aproximar das vítimas e pedir que mandassem fotos delas nuas ou seminuas.

Deste modo, chantageou um grande número de suas 50 vítimas, que iam de crianças até adultos na faixa dos 30 anos, e divulgou e comentou imagens humilhantes deles na rede.

"O objetivo era humilhar as vítimas", explicou a NCA.

Falder também filmou conhecidos seus enquanto tomavam banho depois de instalar câmeras ocultas em diferentes lugares.

"Em 30 anos de trabalho nunca vi infrações tão horríveis, cujo único objetivo era provocar sofrimento e dor", comentou o agente Matt Sutton, citado pela NCA.

"Era uma investigação muito complexa sobre um predador on-line que há anos achava que poderia escapar da lei e explorar sexualmente e de maneira sádica vítimas vulneráveis", acrescentou.

O geofísico, diplomado da prestigiada universidade de Cambridge, e funcionário de um pós-doutorado na Universidade de Birmingham, foi detido em seu local de trabalho em junho. Nesta segunda-feira, ele admitiu os fatos durante uma audiência judicial.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP