Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Choi Soon-Sil pode ser condenada a dezenas de anos de prisão se for considerada culpada das acusações de extorsão e abuso de poder

(afp_tickers)

A sul-coreana Choi Soon-Sil, no centro do escândalo de corrupção que provocou a destituição da então presidente Park Geun-Hye, foi condenada nesta sexta-feira a três anos de prisão na primeira sentença dos processos que enfrenta.

A amiga da presidente caída em desgraça foi considerada culpada de subornar professores para que sua filha fosse admitida na Universidade Ewha e para que recebesse boas notas, apesar de seu pobre desempenho acadêmico.

"O tribunal condena a acusada a três anos de prisão", informou a Corte do Distrito Sul.

Uma ex-decana da Universidade foi condenada a dois anos de prisão e uma funcionária da entidade recebeu uma pena de 18 meses.

Chamada de "Rasputina" pela imprensa sul-coreana, Choi responde ainda por ter utilizado sua relação com a presidente para extorquir cerca de 70 milhões de dólares de empresas sul-coreanas.

Ela pode ser condenada a dezenas de anos de prisão se for considerada culpada das acusações de extorsão e abuso de poder.

AFP