AFP

O presidente americano, Donald Trump (D), sua esposa Melania (E) e seu filho Barron, em Maryland, em 17 de março de 2017

(afp_tickers)

Durante anos, Donald Trump administrou seus negócios em família, pondo seus filhos dentro da Trump Organization, a companhia que controla seu império.

Desde que chegou à Casa Branca, a influência da família do bilionário tem aumentado, multiplicando as acusações de nepotismo e conflitos de interesse.

Conheça os principais personagens do entorno familiar do presidente americano.

- IVANKA TRUMP E JARED KUSHNER, os conselheiros:

Ivanka, a filha do presidente, de 35 anos, tem escritório próprio na Casa Branca desde o início da Presidência.

Esta ex-modelo e empresária, apelidada de "a primeira filha", participa com frequência dos encontros e telefonemas do pai, seja com líderes mundiais, chefes de empresas ou astronautas na Estação Espacial Internacional.

Desde o fim de março, seu status de conselheira é oficial. O cargo a levou a realizar esta semana sua primeira viagem ao exterior, a Berlim, onde se viu obrigada a defender a atitude do pai com as mulheres.

Trump não hesita em quebrar as normas para evitar conflitos de interesse, atacando, por exemplo, a rede de lojas Nordstrom por retirar a linha de roupas de Ivanka, alegando queda nas vendas.

Assim como o pai, Ivanka deixou a gestão de sua companhia e o cargo na Trump Organization, mas continua recebendo sua parte proporcional nos lucros.

Seu marido, que ficou rico graças a negócios imobiliários, assim como o sogro, é um dos conselheiros mais próximos do presidente, juntamente com Steve Bannon e Reince Priebus.

E a saída de Bannon do Conselho de Segurança Nacional parece ter dado mais asas a Kushner, que vem de uma família judia ortodoxa próxima aos democratas.

O genro presidencial exerce tanta influência nos temas diplomáticos quanto o secretário de Estado, Rex Tillerson. Analistas afirmam que ele organizou o encontro entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, em abril. Alguns dias antes, havia se reunido com o primeiro-ministro iraquiano, Haider al Abadi, em Bagdá.

- DONALD JR E ERIC TRUMP, os guardiães do templo:

Donald Jr., de 39 anos, e Eric, de 33, os outros dois filhos do primeiro casamento do presidente, assumiram oficialmente as rédeas da Trump Organization após a posse, embora o presidente continua recebendo sua parte nos lucros.

Eles agora são os encarregados de viajar pelos Estados Unidos e pelo mundo para inaugurar os hotéis e campos de golfe sob a bandeira "Trump", mas sob medidas de segurança muito criticadas, sobretudo do lado democrata.

Embora o presidente tenha prometido não falar com eles sobre negócios, ambos permanecem muito perto do pai, de quem aprenderam tudo.

"Talvez estejamos aqui por nepotismo, mas não é por nepotismo que ficamos. Se não fizéssemos bem nosso trabalho, acreditem que não estaríamos mais aqui", disse Eric à revista Forbes.

- MELANIA TRUMP, o mistério:

A terceira esposa do presidente, de 47 anos, é a grande interrogação da família.

Ex-modelo de origem eslovena, que continua falando inglês com forte sotaque, praticamente não pisou em Washington desde a posse porque prefere esperar que seu filho, Barron, de 11 anos, termine o colégio em Nova York.

São muitas as especulações sobre seu suposto repúdio a assumir o papel tradicional das primeiras-damas e sobre sua relação com o marido, 24 anos mais velho que ela. Melania e Barron têm nos planos mudar-se para a capital no verão.

Suas aparições são contadas, embora sempre se destaque pela elegância no vestir.

Atenta a tudo, Melania deu a Trump um tapinha discreto durante a celebração da Páscoa para lembrá-lo de que devia colocar a mão no peito durante a execução do hino.

AFP

 AFP