Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Líder mundial do setor, a multinacional belgo-brasileira AB InBev registrou um lucro líquido de 8,3% no segundo trimestre, totalizando 1,87 bilhão de dólares, embora os resultados no Brasil tenham apresentado um retrocesso

(afp_tickers)

Líder mundial do setor, a multinacional belgo-brasileira AB InBev registrou um lucro líquido de 8,3% no segundo trimestre, totalizando 1,87 bilhão de dólares, embora os resultados no Brasil tenham apresentado um retrocesso.

No geral, os resultados se aproximam das previsões. O grupo afirmou ainda que o segundo semestre será promissor, apesar de não apresentar cifras.

A AB InBev admitiu, no entanto, que, no Brasil, um de seus principais mercados, "a economia se recupera em um ritmo lento e continua apresentando um desafio para a indústria da cerveja em curto prazo".

Por isso, "o Brasil é a região que deve se potencializar e se beneficiar dos ventos a favor", afirmou o diretor financeiro da AB InBev, o brasileiro Felipe Dutra, em teleconferência.

Depois da fusão, em 2016, com a britânica SABMiller - que formou um gigante mundial da cervejaria -, a AB InBev indicou ter criado sinergias no valor de 335 milhões de dólares.

Entre abril e junho, o EBITDA (lucro bruto antes dos juros e impostos) cresceu 11,8%, ou seja, 5,35 bilhões de dólares, e o faturamento registrou 5% (14,18 bilhões de dólares), em consonância com as expectativas dos analistas.

AFP