AFP

Agência do Banco Popular em Vilanova i la Geltrú

(afp_tickers)

Quase 400 acionistas do Banco Popular espanhol apresentaram nesta quinta-feira uma denúncia à justiça, um dia após perderem todo o seu investimento com a venda da entidade ao Santander por 1 euro simbólico, indicaram seus advogados.

A denúncia, à qual a AFP teve acesso, foi apresentada pela Associação Espanhola de Acionistas Minoritários de Empresas Cotizadas (AEMEC) à procuradoria anticorrupção da Audiência Nacional, alto tribunal especializado neste tipo de caso.

A denúncia aponta "um possível delito de administração desleal" por parte da direção, e "um possível delito contra o mercado e os consumidores", mediante o uso de informação privilegiada por parte de grandes acionistas.

Mais concretamente, o texto aponta para o empresário mexicano Antonio del Valle, que junto com outros investidores de seu país tinha uma participação de 4,13% no final de março, de acordo com os últimos dados oficiais disponíveis.

A denúncia formula a hipótese de que Del Valle e os outros acionistas mexicanos teriam manipulado propositalmente a ação, com o objetivo de obter "um ganho desmedido às custas do resto dos acionistas".

A AFP procurou o empresário por meio da Mexichem, uma empresa química de sua propriedade, mas não obteve resposta.

O secretário-geral da AEMEC, o advogado Javier Cremades, disse à imprensa que estão até o momento representados na denúncia 385 acionistas, a maioria "pequenos poupadores" que somam 3,5% do capital social do Popular.

AFP

 AFP