Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Logo da General Motors (GM)

(afp_tickers)

A montadora americana General Motors (GM) alcançou na madrugada deste sábado um acordo com um sindicato para acabar com a greve que começou em 17 de setembro em uma de suas fábricas no Canadá, no contexto das negociações do Nafta.

A empresa e o sindicato Unifor, que representa os cerca de 2.750 funcionários em greve, "chegaram a um princípio de acordo (...). O acordo está agora sujeito à ratificação", explicou a GM em comunicado.

Nenhum das duas partes deu detalhes do compromisso para acabar com o conflito social, que ocorria em paralelo aos diálogos entre Estados Unidos, México e Canadá para renegociar o Tratado de Livre-Comércio da América del Norte (Nafta), em vigor desde 1994.

O grupo americano anunciou em janeiro a deslocalização ao México da produção do Terrain, um 4x4 urbano produzido nesta fábrica canadense próxima a Ontário, e que implicava na eliminação de 625 postos de trabalho.

Desde 2015, a GM investiu desde 650 milhões de dólares americanos para modernizar a planta canadense, a fim de construir o novo Chevrolet Equinox, também fabricado no México.

A Unifor e os trabalhadores denunciaram que a GM decidiu produzir no México porque a mão de obra é mais barata do que no Canadá.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP