Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Sepp Blatter e de Hope Solo

(afp_tickers)

O ex-presidente da Fifa Sepp Blatter considerou "ridícula e absurda" a acusação de assédio sexual feita contra ele pela goleira americana Hope Solo, uma das grandes figuras do futebol feminino - em declaração enviada à AFP neste sábado (11).

Hope Solo, de 36 anos, acusou Blatter, de 81 anos, de apalpar sua bunda durante cerimônia de entrega da Bola de Ouro de 2013, em Zurique.

"Essa acusação é ridícula, é absurda", disse Blatter à AFP.

"Sepp Blatter agarrou minha bunda, foi há alguns anos na cerimônia da Bola de Ouro, pouco antes de eu entrar no palco", disse Solo em uma entrevista publicada neste sábado pelo jornal português Expresso.

Campeã mundial e duas vezes medalhista de ouro olímpico, Solo estava esta semana em Lisboa para participar da Web Summit.

Lá, disse ao Expresso que o assédio sexual por parte de funcionários do sexo masculino é um problema comum no futebol feminino.

- Comportamento "frequente" -

Esse tipo de comportamento "é frequente. Eu vi isso durante toda a minha carreira, e eu gostaria de ver mais atletas falando sobre suas experiências", convocou Solo.

"Está fora de controle, não apenas em Hollywood, mas em todos os lugares", acrescentou a jogadora, em referência à avalanche de denúncias de assédio sexual no mundo do entretenimento, da política e do esporte desde que foi revelado o escândalo do produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

Wenstein foi acusado por um uma centena de atrizes de assédio, agressões sexuais e estupros.

Desde então, um grande número de mulheres denunciaram situações parecidas de que foram vítimas.

No esporte, as ginastas americanas McKayla Maroney e Aly Raisman denunciaram terem sido vítimas de abuso sexual por parte de um médico da seleção.

"Parte desses agressores mantém seus trabalhos e continuam incorrendo nesses atos", disse Solo. "Eu mesma tive experiências ruins com jogadoras que continuam na seleção".

"Acho que é importante destacar que isso não acontece só com homens brancos e com poder. Pode acontecer em qualquer ambiente, entre mulheres, em qualquer lugar", acrescentou a goleira.

Sepp Blatter teve que renunciar ao cargo de presidente da Fifa devido a um escândalo de corrupção em 2015, depois de 17 anos no comando da organização.

O suíço foi suspenso por seis anos de "qualquer atividade ligada ao futebol" pela justiça interna da Fifa, devido a um controverso pagamento de dois milhões de francos suíços (1,8 milhão de euros) a seu amigo e aliado Michel Platini.

Mas esta suspensão não o impedirá de ir à Rússia para assistir à Copa do Mundo de 2018, a "convite" do presidente russo, Vladimir Putin, confirmou Blatter à AFP no final de outubro.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP