Navigation

Acusação de complô feita por Maduro é 'insólita', diz Santos

(Arquivo) O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. agosto 2018 - 15:37
(AFP)

O presidente em final de mandato da Colômbia, Juan Manuel Santos, considerou "insólita", nesta segunda-feira (6), a acusação de seu colega venezuelano, Nicolás Maduro, que o envolveu em um suposto complô para assassiná-lo sábado em Caracas.

"Ontem descobri que há outra (acusação) ainda mais insólita: que estou com a Inteligência americana, com a direita venezuelana, armando complôs para assassinar o presidente da Venezuela. Por Deus!", afirmou Santos, em um ato público em Bogotá.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.