Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Air France, which does not fly over North Korea, said it was expanding its non-flyover zone as a precaution

(afp_tickers)

A Air France anunciou, nesta quinta-feira, que vai ampliar sua zona de não sobrevoo perto da Coreia do Norte, após um míssil balístico do país cair no mar a 100 quilômetros da trajetória de um avião da companhia.

"Após tomar conhecimento do teste com o míssil decidimos estabelecer uma zona sem sobrevoo mais ampla, para ficar mais longe do território da Coreia do Norte", afirmou a companhia numa nota, descrevendo a ação como uma "medida de precaução".

A companhia ainda completou: "A informação disponível para a Air France mostra que o míssil caiu no mar a mais de 100 quilômetros da trajetória" do voo AF293.

O avião com 323 pessoas a bordo voava do aeroporto Haneda, em Tóquio, para o aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. O míssil caiu no mar minutos após a aeronave passar por aquela área.

"Mesmo que essa distância tivesse sido comprovada, isso não afetaria a segurança do voo", afirmou a Air France.

Um porta-voz disse que o voo passou pelo local sem problemas. Contudo, a companhia aérea, que destacou que já não sobrevoa o território da Coreia do Norte, disse que decidiu tomar a medida preventivamente.

"Trabalhando com as autoridades, a Air France constantemente analisa zonas de sobrevoo potencialmente arriscadas e adapta seus planos de voo de acordo com isso", a transportadora destacou.

A Coreia do Norte alarmou a comunidade internacional ao desenvolver um programa de mísseis, e em julho o realizou dois testes de um ICBM - primeira vez que demonstrou a capacidade de seus ICBMs.

Após o segundo teste, na semana passada, alguns especialistas sugeriram que Nova York possa estar ao alcance dos mísseis.

AFP