Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldados no lado israelense da fronteira

(afp_tickers)

A rede de televisão Al-Jazeera esvaziou seu escritório em Gaza depois de ser alvo de tiros nesta terça-feira, declarou a emissora, com sede no Catar, que responsabilizou Israel pela segurança de seus funcionários.

"Dois disparos muito precisos foram disparados contra nosso imóvel", declarou a jornalista da Al-Jazeera em Gaza, Stefanie Dekker, citada pelo site em inglês da rede.

O escritório se situa no décimo primeiro andar de um edifício situado no centro da cidade de Gaza, que abriga meios de comunicação locais e internacionais, assim como apartamentos.

Os funcionários da rede e várias famílias palestinas, que encontraram refúgio após os bombardeios israelenses de domingo em Shejaiya, esvaziaram o edifício.

A rede do Catar declarou ser vítima de uma campanha hostil em Israel por sua cobertura dos ataques aéreos israelenses contra a população civil na Faixa de Gaza, que deixou mais de 600 palestinos mortos desde o dia 8 de julho.

Em seu site, a Al-Jazeera cita o ministro israelense das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, que defendeu na segunda-feira que a rede de televisão seja impedida de trabalhar em Israel, já que "não realiza um trabalho jornalístico, mas uma lavagem cerebral".

O Catar, próximo ao movimento islamita Hamas, financia a Al-Jazeera.

AFP