Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Polícia Federal controla o tráfego no Rio de Janeiro, em 18 de maio de 2017

(afp_tickers)

A Polícia Federal (PF) prendeu nesta quinta-feira (27) o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil Aldemir Bendine, como parte de uma nova fase da operação Lava Jato.

Bendine é suspeito de ter recebido propina da Odebrecht.

Outras três pessoas foram presas na operação realizada em Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, segundo informou a PF em um comunicado.

"A ação policial tem como alvo principal a investigação do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, bem como de pessoas a ele associadas, pela prática dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, dentre outros", indica.

O grupo teria recebido "ao menos 3 milhões de reais", em pagamentos que "só foram interrompidos com a prisão do então presidente da Odebrecht", Marcelo Odebrecht, em junho de 2015, segundo o documento.

Bendine dirigiu o Banco do Brasil de 2009 a 2015 e presidiu a Petrobras desde fevereiro de 2015 até maio de 2016.

A Operação Lava Jato revelou a existência de um enorme esquema de pagamento de propinas de grandes construtoras a políticos e partidos para obter contratos com a Petrobras.

Dezenas de dirigentes e quase todo o arco político e empresários foram condenados ou são investigados desde o início da investigação, em março de 2014.

AFP