Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A chanceler alemã, Angela Merkel

(afp_tickers)

A chanceler alemã, Angela Merkel, fez uma advertência nesta quinta-feira sobre o perigo do expansionismo econômico da China, e afirmou que é favorável a um veto europeu a alguns investimentos chineses na Europa.

"A China tem uma grande tradição de pensar em períodos históricos longos. Do ponto de vista vista de Pequim, a Europa é uma península asiática", disse Merkel em uma entrevista à revista econômica Wirtschaftswoche.

Ao mesmo tempo, ela reconheceu que "muitos setores da economia alemã dependem da China", o que justifica um diálogo para conseguir "um desenvolvimento harmonioso que seja benéfico para todos".

A Alemanha está preocupada com os grandes investimentos chineses na Europa, como o caso da empresa alemã de equipamentos Kuka, que no ano passado foi comprada pela chinesa Midea por 4,6 bilhões de euros, o que também implica a transferência de tecnologia alemã para o gigante econômico asiático.

Neste sentido, Berlim apoia a proposta da França de dar mais poder a Bruxelas para supervisionar as compras de empresas europeias, sobretudo em setores estratégicos, algo rejeitado por países como Portugal, Grécia ou Espanha, que temem a queda dos investimentos estrangeiros em suas economias.

AFP