Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Membros do Estado Islâmico na cidade síria de Raqa

(afp_tickers)

O governo da Alemanha afirmou nesta segunda-feira que não usou dinheiro público para obter a libertação de um alemão de 27 anos sequestrado na Síria pelo grupo Estado Islâmico (EI).

"Não se deve fazer chantagem com o governo alemão. Posso garantir que não houve dinheiro público pago para libertar a pessoa em questão", afirmou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Martin Schafer.

O jornal Bild afirma que a família do alemão, identificado como Toni N., pagou resgate, mas sem revelar o valor.

O porta-voz ministerial se recusou a comentar a informação.

A libertação do alemão foi revelada no domingo pelo jornal Welt am Sonntag, mas não foi confirmada oficialmente. Segundo o jornal, ele viajou à Síria em 2013 para participar na "ajuda humanitária".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP