AFP

O secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, cometeu uma gafe nesta terça-feira, quando pareceu, pelo menos momentaneamente, esquecer-se do Holocausto, sugerindo que Adolf Hitler não usou armas químicas

(afp_tickers)

A chancelaria alemã denunciou nesta quarta-feira a comparação que o porta-voz da Casa Branca fez entre o presidente sírio, Bashar al-Assad, e Adolf Hitler.

"Cada comparação das situações atuais com os crimes do nacional-socialismo não leva a nada de bom", declarou Steffen Seiber, porta-voz da chanceler Angela Merkel.

O secretário de imprensa da Casa Branca, Sean Spicer, cometeu uma gafe nesta terça-feira, quando pareceu, pelo menos momentaneamente, esquecer-se do Holocausto, sugerindo que Adolf Hitler não usou armas químicas.

Ao falar do ataque químico na Síria, pelo qual os Estados Unidos culpam o presidente Bashar al-Assad, o porta-voz do presidente Donald Trump disse: "alguém tão desprezível como Hitler nem sequer foi tão baixo [a ponto de] usar armas químicas".

Logo depois, Spicer pediu desculpas por declarações que deram a entender, pelo menos momentaneamente, que ele se esqueceu do Holocausto, ao sugerir Hitler não usou armas químicas.

Spicer se desculpou por seus comentários "insensíveis" durante a coletiva. "Francamente, formulei equivocadamente um comentário inapropriado e insensível sobre o Holocausto, e não há comparação", declarou o secretário à emissora CNN.

"Peço desculpas por isso. Foi um erro dizer isto", assinalou.

AFP

 AFP