Um montanhista indiano se tornou a primeira pessoa a morrer em 2019 no Everest, onde um irlandês também está desaparecido - informaram os oficiais da expedição nesta sexta-feira (17).

Ravi Thakar, 28 anos, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira em sua barraca no acampamento 4, localizado a 7.920 metros de altitude, a última parada antes do topo da montanha mais alta do planeta.

Sua equipe se recuperava do esforço depois de ter realizado a façanha pretendia.

"Uma operação para trazer o corpo está em andamento", disse Mingma Sherpa, da agência Seven Summit Treks, à AFP.

Um alpinista da mesma expedição, o irlandês Seamus Lawless, 39 anos, está sendo procurado depois de ter deslizado no dia anterior em uma área de 8.300 metros de altitude.

Os dois alpinistas eram de uma equipe de oito pessoas que incluía Saray Khumalo, a primeira mulher negra africana a chegar ao topo do Everest.

No ano passado, cinco pessoas perderam a vida no Everest.

Todos os anos, centenas de alpinistas do mundo inteiro vão ao Nepal entre abril e maio, a estação mais favorável, para escalar o Everest.

A ascensão é extremamente perigosa e muitas vezes há vítimas.

O Everest foi conquistado pela primeira vez em 1953 pelo neozelandês Edmund Hillary e o nepalês Tenzing Norgay.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.