O americano Craig Hicks, de 50 anos, foi condenado à prisão perpétua, nesta quinta-feira (13), por matar três estudantes muçulmanos em fevereiro de 2015, crime que gerou indignação em seu país e no mundo.

O acusado se declarou culpado na quarta-feira, depois que a acusação lhe garantiu que não pediria sua pena de morte, caso ele reconhecesse os atos.

Em fevereiro de 2015, Hicks matou Deah Barakat, de 23 anos, sua esposa, Yusor Abu-Salha, de 21, e sua cunhada, Razan Abu-Salha, de 19, na cidade universitária de Chapel Hill, na Carolina do Norte.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.