Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Oficial de segurança da Somália olha escombros após explosão de carro-bomba no centro de Mogadíscio, em 28 de setembro de 2017

(afp_tickers)

Ao menos 20 pessoas morreram na explosão de um carro-bomba diante de um hotel em uma avenida movimentada da capital somali, Mogadíscio, neste sábado.

"Os serviços de emergência indicam que mais de 20 corpos foram recuperados na rua e muitos continuam nos escombros de edifícios destruídos pela explosão", afirmou Ibrahim Mohamed, comandante da polícia.

Mohamed Aden, ums dos principais nomes da Secretaria de Segurança, confirmou o ataque.

"Houve uma explosão provocada por um caminhão repleto de explosivos. Explodiu na entrada de um hotel", disse Adan.

Nenhum grupo reivindicou o ataque até o momento, mas os rebeldes shebab, embrião da Al-Qaeda, executam com frequência ataques suicidas na capital e em outras cidades em sua luta contra o governo somali, que é respaldado pela comunidade internacional.

Testemunhas afirmaram que a explosão provocou muitos danos no hotel e relataram cenas de devastação na avenida.

"Foi horrível, a bomba explodiu ao lado da rua e matou muitas pessoas. Vi muitos corpos, mas não consegui contar", disse Ismail Yusuf.

Os serviços de emergência estavam sobrecarregados.

"É um incidente horrível. As equipes de emergência não sabem quantas pessoas ajudaram pela elevada quantidade de vítimas", disse Abdukadir Haji Aden, diretor do principal serviço de ambulâncias de Mogadíscio.

"Levaram dezenas de mortos e feridos e continuam trabalhando", disse.

A avenida em que aconteceu a explosão fica no distrito de Hodan, uma área comercial da cidade, com muitas empresas e hotéis.

O ataque aconteceu perto da entrada do Safari Hotel, um estabelecimento popular, mas que não é utilizado por funcionários do governo. Não se sabe ainda se o alvo era o hotel.

A explosão devastou uma área importante da capital. Muhidin Ali, morador da região, disse que foi a explosão mais forte que já ouviu.

"Havia corpos por todos os lados e os feridos gritavam, alguns debaixo dos escombros", contou outra testemunha, Fadumo Dahir.

"Todo o setor parece uma zona de guerra", disse Ahmed Bare.

Os shebaab foram expulsos da capital da Somália há seis anos por tropas somalis e da União Africana. Com o passar dos anos perderam o controle das principais localidades do sul da Somália.

Mas os rebeldes continuam controlando as zonas rurais e executam ataques contra os militares, o governo e alvos civis, assim como ataques terroristas no Quênia.

A explosão do caminhão-bomba aconteceu dois dias depois da demissão do ministro da Defesa e do comandante do Exército sem a divulgação dos motivos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP