Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Membros da polícia nacional civil reforçam a segurança de um ônibus, na Cidade da Guatemala, no dia 17 de dezembro de 2013

(afp_tickers)

Ao menos quatro trabalhadores do transporte de passageiros morreram, nesta terça-feira, em três ataques armados contra ônibus na capital da Guatemala e no município vizinho de Mixco, informaram a polícia e os bombeiros municipais.

No primeiro ataque, registrado na periferia norte da capital, morreu o motorista do ônibus, o que se presume ser uma represália por não pagar uma extorsão a uma gangue, informou a polícia.

Um ajudante de ônibus faleceu ao ser atacada com armas de fogo uma unidade na periferia sul da cidade, informaram os bombeiros municipais.

O terceiro ataque foi registrado na avenida San Cristóbal, no município de Mixco, adjacente ao oeste da capital, com saldo de dois mortos - o condutor e o ajudante da unidade de transporte.

Em relação a este último ataque, a polícia relatou a captura dos suspeitos, cujas idades variam entre 19 e 20 anos. Com os detidos apreenderam uma arma de fogo e a motocicleta em que viajavam.

Após a detenção, um grupo de motoristas e ajudantes das unidades de transporte público tentaram bater nos supostos assassinos.

A Guatemala vive uma onda de violência que deixa cerca de 6.000 mortos por ano, principalmente pela luta entre cartéis de drogas e a ação das quadrilhas que se dedicam, entre outras atividades, ao assassinato, à extorsão e ao narcotráfico.

AFP