Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imigrantes resgatados em operação da Guarda Costeira da Líbia, em 8 de julho de 2017, no Mar Mediterrâneo

(afp_tickers)

Trinta e cinco imigrantes, entre eles sete crianças, estão desaparecidos após o naufrágio de um bote inflável neste sábado, na costa da Líbia, anunciaram guardas-costeiros do país, a partir de depoimentos de sobreviventes.

De acordo com Issa al-Zarrouk, comandante da Guarda Costeira de Garabulli (60 km ao leste de Trípoli), 85 imigrantes foram resgatados com segurança por pescadores da região, que alertaram as autoridades.

O porta-voz da Marinha líbia, Ayoub Kacem, indicou que a embarcação naufragou 6 milhas ao noroeste de Garabulli, e dez barcos de pescadores participaram do resgate.

Os sobreviventes são provenientes de Nigéria, Senegal, Camarões, Costa do Marfim e Gana, disse Kacem.

A nigeriana resgatada Vivian Effoussa disse que essa foi a primeira vez em que viu o mar. "Não imaginava que o mar fosse tão grande", disse ela à AFP.

Effoussa contou que o barco começou a esvaziar e a se encher de água.

"Todo mundo começou a chorar. Eu nunca vi algo assim na minha vida", recordou ela. "Pouco a pouco, fomos ficando dentro da água e todo mundo se empurrava. Puxaram meu cabelo, me empurraram (para o fundo)", antes de ser resgatada pelos pescadores.

Mais de 100 mil imigrantes e refugiados chegaram à Europa desde janeiro. Desses, mais de 85 mil desembarcaram na Itália após atravessar o Mediterrâneo, vindos da Líbia. Ao menos 2.247 morreram ou estão desaparecidos, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

AFP