Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O comissário europeu de Assuntos Financeiros, Pierre Moscovici, em Bruxelas, no dia 4 de outubro de 2017

(afp_tickers)

A Comissão Europeia e os ministros das Finanças da União Europeia, impactados pelas revelações dos "Paradise Papers", se comprometeram nesta segunda-feira a intensificar sua luta contra a evasão fiscal.

"Este novo escândalo mostra, mais uma vez, que algumas empresas e particulares estão dispostas a tudo para não pagar impostos", disse o comissário europeu de Assuntos Financeiros, Pierre Moscovici, em sua chegada à reunião dos ministros das Finanças do bloco em Bruxelas.

Para Moscovici, "os cidadãos europeus já não suportam mais isso, e eles têm razão".

O executivo comunitário "fez muito nos últimos três anos para pressionar os países para que mudem as leis", mas "resta muito por fazer".

Os "Paradise Papers", revelados no domingo pelo ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos), detalham como multimilionários e corporações -entre elas a rainha Elizabeth II e o secretário de Comércio americano, Wilbur Ross- evadem impostos através de paraísos fiscais.

A informação se baseia no vazamento de 13,5 milhões de documentos financeiros, procedentes fundamentalmente de um escritório internacional de advocacia com sede nas ilhas Bermudas, Appleby, obtidos pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP