A Apple e a fabricante de componentes Qualcomm informaram nesta terça-feira que chegaram a um acordo para dar fim a mais de dois anos de batalhas judiciais em torno do pagamento de royalties por patentes.

As duas empresas chegaram a um acordo comercial, que anunciaram pouco antes de iniciarem as argumentações iniciais em um novo julgamento em um tribunal federal em San Diego.

"A Qualcomm e a Apple anunciaram hoje um acordo para descartar todos os litígios entre as duas empresas em todo o mundo", informaram as duas empresas.

"O contrato inclui um pagamento da Apple para a Qualcomm. As empresas também assinaram um contrato de licença de seis anos, com vigência a partir de 1º de abril de 2019, que inclui uma opção de prorrogação de dois anos e um contrato de fornecimento de chips de vários anos".

A declaração não especifica quanto a Apple pagará, mas deixa claro que a Qualcomm voltou a ser fornecedora da Apple.

As ações da Qualcomm avançaram 23,2% em Wall Street após o anúncio do fim da disputa.

A Apple acusou a Qualcomm de aproveitar sua posição dominante para cobrar preços exorbitantes por seus chips patenteados, que permitem que smartphones se conectem a redes móveis.

Ambas as empresas enfrentaram um primeiro processo movido pela Apple em janeiro de 2017.

Neste último, em San Diego, a fabricante do iPhone não só se recusou a pagar, mas também procurou o que poderia ser bilhões de dólares em compensação.

A Qualcomm, que tinha muita coisa em jogo porque a maior parte de sua receita vem da arrecadação de royalties, negou o argumento da Apple e alegou que sua única razão para ir à Justiça era negociar os preços para baixo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.