Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O CEO da Apple, Tim Cook, apresenta os dois novos iPhones, em São Francisco, no dia 9 de setembro de 2015

(afp_tickers)

Os novos iPhones chegaram, como sera esperado, com uma nova tecnologia que percebe a intensidade da pressão na tela. Mas a Apple também reformulou seu iPad e se dedicou à sala de estar com uma atualização de sua Apple TV.

Durante a apresentação para a imprensa em San Francisco, a Apple revelou nesta quarta-feira dois novos modelos de seu iPhone, em busca de aproveitar o sucesso que conseguiu com o lançamento no ano passado de seus primeiros telefones inteligentes de tela grande.

Os novos telefones, o iPhone 6S e 6S Plus, têm as mesmas dimensões que seus equivalentes da última versão. "Parecem iguais, mas são completamente diferentes", afirmou o chefe-executivo da Apple, Tim Cook.

Uma de suas novas funções é uma tecnologia chamada "3D touch", que é capaz de reagir de forma diferente segundo a intensidade da pressão do dedo do usuário na tela tátil.

"Pressione ligeiramente para olhar uma foto, um e-mail, uma página da internet ou outro conteúdo, ou pressione um pouco mais forte se quiser abrir o conteúdo em si", explicou a Apple em comunicado.

Os iPhones 6S e 6S Plus usarão o próximo sistema operacional iOS9, que será lançado em 16 de setembro e suporta novas funções como o "3D touch".

O 6S tem a mesma tela de 4,7 polegadas diagonal (12 cm) que seu predecessor, enquanto o 6S Plus tem uma tela de 5,5 polegadas.

Mas ambos têm um corpo de alumínio, um vidro mais duro e processadores mais poderosos que se traduzem em melhoras na qualidade dos gráficos.

Os novos modelos estarão à venda pelos mesmos preços que seus antecessores a partir de 25 de setembro em uma dezena de países.

- O iPad Pro -

O novo iPad Pro tem o poder e as capacidades para substituir um computador de escritório, segundo a Apple. Cook o apresentou como "a maior notícia sobre o iPad desde o iPad".

Tem uma tela de 12,9 polegadas diagonal (32,7 cm), contra 9,7 polegadas do modelo clássico.

Também inclui um teclado removível e uma nova caneta chamada Apple Pencil, que permite desenhar sobre a tela - embora o co-fundador da empresa, Steve Jobs, garantisse que os usuários não queriam este tipo de acessório.

O novo iPad opera mais rápido que 80% dos computadores portáteis que foram vendidos nos últimos 12 meses, garantiu o vice-presidente da Apple, Phil Schiller.

O gadget estará disponível para vendas a um preço inicial de 799 dólares, para o de 32 gigabytes de memória, até 1.079 dólares pelo de 128 GB. A caneta é vendida à parte por 99 dólares e o teclado a partir de 169 dólares.

O tablet, cuja bateria dura 10 horas, "é fina e leve o suficiente para trabalhar nela o dia inteiro e ser levada para todos os lugares", disse Schiller.

A caneta está equipada para detectar a inclinação e traçar linhas de diferentes espessuras.

O analista Bob O'Donnell, da empresa de pesquisa Technalysis, escreveu no Twitter que o novo iPad "parece um computador Windows 2-1" e também com o Surface, o tablet da Microsoft.

- Caixa de TV -

A atualização do aparelho para ver vídeos por streaming, Apple TV, inclui busca por voz, controle remoto com touch screen e uma loja online que busca desafiar a concorrência: Google, Amazon e os titãs dos videogames.

"Acreditamos que o futuro da televisão são os aplicativos", afirmou Cook, enquanto apresentava seu novo device de TV.

A Apple lançou também um pacote de programação para desenvolvedores externos e mostrou alguns aplicativos já criados por serviços de vídeo por streaming como Netflix, Hulu e HBO.

Ao mesmo tempo, a assistente virtual Siri permitirá fazer buscas com simples comandos de voz, como por exemplo ao mencionar um ator ou título do filme.

A nova Apple TV estará à venda à partir do final de outubro a um preço inicial de 149 dólares.

Mas a Apple tem grandes concorrentes neste segmento de mercado. Segundo a consultoria Parks Associates, a Roku lidera com 37% do mercado, seguida pelo Google Chromecast com 19% e a Apple TV com 17%.

AFP