Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas aguardam metrô em estação de Nova York, em 2 de julho de 2017

(afp_tickers)

Os nova-iorquinos adoram o transporte público, mas estão cansados dos atrasos, dos descarrilamentos, da sujeira e do amontoamento em seu antiquado sistema de metrô. Mas um ambicioso plano, anunciado nesta terça-feira, promete renová-lo.

O projeto foi anunciado pelo chefe da Autoridade de Transporte Metropolitano (MTA) de Nova York, Joseph Lhota, a pedido do governador Andrew Cuomo, que há menos de um mês declarou o sistema de metrô em estado de emergência e profetizou "um verão do inferno" para os que usam o sistema ferroviário.

O novo plano custará 840 milhões de dólares em sua primeira fase de estabilização, e depois oito bilhões na segunda fase, de modernização, que incluirá novos trens e novos sinais, disse Lhota à imprensa.

Lhota pediu nesta terça-feira que os governos estadual e municipal compartilhem os gastos do novo plano.

"Os nova-iorquinos estão frustrados, e com razão, por conta do atual estado do metrô", afirmou ao anunciar o projeto.

"Temos uma infraestrutura velha combinada com a falta de investimento a longo prazo [...]. O sistema de metrô está falhando com seus clientes", acrescentou.

O plano começará imediatamente e serão vistas melhorias em apenas um ano, anunciou Lhota, que prometeu aumentar a capacidade nos vagões, limpezas mais frequentes e uma maior confiança.

Prometeu também que a passagem - uma única viagem custa US$ 2,75 - não será aumentada.

AFP