Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente do Irã, Hasan Rouhani

(afp_tickers)

Uma fonte do governo da Arábia Saudita acusou nesta terça-feira o Irã de "chantagem" e de "atrasar" deliberadamente uma investigação sobre os ataques em 2016 contra as missões diplomáticas sauditas em território iraniano com o objetivo de obter privilégios diplomáticos.

Os ataques de janeiro de 2016, que aconteceram após a execução de um clérigo xiita na Arábia Saudita, provocaram a ruptura das relações diplomáticas.

"As autoridades iranianas continuam adiando e se recusam a concluir a investigação sobre o ataque contra a embaixada da Arábia Saudita em Teerã e o consulado em Mashhad há mais de 18 meses", afirma um comunicado divulgado pela agência saudita SPA, que cita uma fonte anônima do ministério das Relações Exteriores.

A mesma fonte acusa o Irã "de utilizar a chantagem para obter privilégios diplomáticos na Arábia Saudita".

A monarquia sunita na Arábia Saudita acusa com frequência o Irã xiita de organizar "atividades desestabilizadoras" no mundo árabe. As duas potências regionais apoiam grupos rivais tanto na Síria como no Iêmen.

AFP