Navigation

Arianespace prevê lançamento de mais de 300 satélites em 2020

O foguete Ariane 5 decola do Centro espacial de Kourou, na Guiana Francesa, em 25 de janeiro de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. janeiro 2020 - 14:53
(AFP)

A Arianespace pretende lançar mais de 300 satélites em 2020, metade do total posto em órbita em 40 anos, graças ao envio da constelação OneWeb - afirmou seu CEO, Stéphane Israel, nesta terça-feira (7).

O ano de 2020 se anuncia como crucial para a empresa encarregada da exploração e comercialização dos lançadores europeus, que celebra seus 40 anos.

Antes do fim do ano, a comissão pretende realizar os lançamentos inaugurais dos foguetes Ariane 6 e Vega C.

Desde 1980, Arianespace lançou 616 satélites. Este ano, lançará "mais de 300, graças, sobretudo, à continuação do envio dos satélites OneWeb e da missão Rideshare SSMS" a bordo do foguete italiano Vega, que transportará cerca de 40 satélites pequenos.

Além dos voos inaugurais do Ariane 6 e do Vega C, "em 2020, cabe esperar que sejam feitos até 12 lançamentos da Guiana: cinco Ariane 5, quatro Soyuz e três Vega", afirmou Israel, em entrevista coletiva.

"A estas missões vão-se somar outros dois cosmódromos russos de Baikonur e Vostochny. Planejamos uma meta de oito lançamentos para OneWeb, sabendo que, se houver mais satélites prontos, estamos prontos para mais lançamentos", acrescentou o CEO.

Cada Soyuz pode levar até 34 satélites da constelação OneWeb. No mercado dos satélites geoestacionários de telecomunicações, núcleo histórico da atividade da Arianespace, houve um grande salto em 2019.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.