Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policial tenta parar manifestante durante protesto em Yerevan, na Armênia, em 16 de abril de 2018

(afp_tickers)

Pelo menos 10 mil pessoas se manifestaram nesta terça-feira em Yerevan, capital da Armênia, contra o ex-presidente Serge Sarkissian, nomeado primeiro-ministro com poderes fortalecidos após uma votação no Parlamento, informou um jornalista da AFP.

Reunidos na Praça da República, no centro da cidade, a pedido do líder da oposição e membro do parlamento Nikol Pachinian, os manifestantes denunciaram a manutenção de Sarkisian no poder.

A candidatura de Sarkisian, de 63 anos, proposta pelo Partido Republicano, situação, foi apoiada por 77 deputados, contra 17.

Os manifestantes bloquearam o acesso a vários ministérios e ao Banco Banco Central, e prometeram organizar uma grande marcha durante a noite.

Serzh Sarkisian, que concluiu em março seu segundo e último mandato presidencial, retorna ao poder depois de uma reforma constitucional, em que o chefe de Estado exerce principalmente funções protocolares e o verdadeiro poder executivo está nas mãos do primeiro-ministro.

"Sarkisian quer permanecer no poder eternamente", assegurou à AFP o líder do partido de oposição Herença, Raffi Hovannisyan.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP