Navigation

Arqueólogos encontram tabela de medidas de 2 mil anos em Israel

Arqueólogo Ari Levi exibe pedaço da tabela de medidas de 2 mil anos em Jerusalém, no dia 6 de janeiro de 2020. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. janeiro 2020 - 23:14
(AFP)

Uma equipe de arqueólogos israelenses apresentou nesta segunda-feira uma tabela de medidas de 2 mil anos que sugere que na época havia um mercado próximo ao Monte do Templo, lugar sagrado do judaísmo em Jerusalém.

Trata-se da terceira tabela de medidas encontrada nesta zona do centro de Jerusalém, segundo Ari Levy, um dos diretores de escavações da Autoridade de Antiguidades de Israel.

"Até agora, as escavações em Jerusalém só haviam revelado duas tabelas similares, utilizadas para medir volumes (no comércio): uma nos anos 1970", no centro da cidade; "e outra em Shuafat, no norte de Jerusalém", recordou o arqueólogo Ronny Reich.

A tabela de pedra apresentada nesta segunda-feira servia para padronizar medidas de líquidos como vinho e azeite, e pertencia ao administrador do mercado, disse Levy à AFP.

O achado "é uma prova de que houve atividades comerciais, pois a única pessoa que possuía este tipo de tabela era o administrador do mercado".

As escavações estão a cargo da Autoridade de Antiguidades de Israel do Parque Nacional da Cidade de David.

A Cidade de David vai das muralhas da Cidade Velha até Silwan, bairro palestino de Jerusalém Oriental, parte da cidade anexada e ocupada por Israel.

A área é um sítio de escavações israelenses intensas e polêmicas, diante da disputa entre Israel e os palestinos sobre a soberania de Jerusalém Oriental.

A Cidade de David é administrada pela organização nacionalista Elad, cujo objetivo é reforçar a presença judaica nos bairros árabes de Jerusalém Oriental.

Segundo esta organização, o complexo arqueológico e turístico está situado na antiga cidade levantada pelo Rei David.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.