AFP

Mulher deposita flores na área do Borough Market, em memória das vítimas

(afp_tickers)

Sete pessoas morreram e cerca de 50 ficaram feridas no sábado à noite em Londres em um ataque reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Os três agressores morreram no atentado, mas antes atropelaram os transeuntes na London Bridge e depois esfaquearam clientes e funcionários dos bares e restaurantes de Borough Market.

As vítimas são originárias de diferentes países. Veja o que se sabe até o momento sobre elas.

- Os mortos -

- Uma enfermeira australiana

Kirsty Boden, uma enfermeira australiana funcionária de um hospital londrino, foi morta quando tentava ajudar as pessoas atropeladas pela van na London Bridge, segundo sua família.

"Extrovertida, gentil e generosa", ela adorava o seu trabalho, explicaram seus parentes. "Estamos orgulhosos da reação corajosa de Kirsty". Seu empregador, o Guy's Hospital, elogiou "uma enfermeira extraordinária".

- Um britânico em um pub

James McMullan, de 32 anos, que estava no pub Barrowboy & Banker, na extremidade da London Bridge, foi identificado graças a um cartão de crédito encontrado com ele, segundo declarou sua irmã Melissa. Apontado como desaparecido desde o ataque, era procurado por seus amigos nas redes sociais.

- Uma canadense na ponte -

Christine Archibald, uma canadense de 30 anos, morreu nos braços de seu noivo, Tyler Ferguson, após ter sido atingida pelo veículo dos terroristas.

"Meu irmão mais novo perdeu o amor de sua vida na London Bridge", escreveu Cassie Ferguson Rowe no Facebook.

- Um francês -

Um francês foi morto. Ele tinha familiares na Bretanha, em Saint-Malo (noroeste da França). Segundo a imprensa, o homem de 27 anos, chamado Alexandre, vivia em Londres e trabalhava no Boro Bistro, um estabelecimento administrado por um bretão.

- Os feridos -

- Quatro policiais

Um policial à paisana, desarmado e sentado em um pub foi ferido na tentativa de ajudar outras pessoas. Um membro da polícia de trânsito, um dos primeiros a chegar ao local do ataque, um agente de folga e um policial uniformizado também ficaram feridos.

- Geoff Ho, um jornalista do Sunday Express

Ele tentou ajudar uma pessoa que era atacada, mas foi esfaqueado no pescoço em frente ao pub Southwark Express.

- Daniel O'Neill

Segundo sua mãe, o agressor do jovem de 23 anos gritou: "Isso é por minha família, pelo Islã".

- Um grego que vive em Londres

Antonio Fili, de 35 anos, agrônomo, contou ao site grego Lamiareport.gr o relato de seu filho: "Ele nos disse que os agressores visavam a carótida".

- Outros estrangeiros

Sete franceses foram hospitalizados, incluindo quatro em "estado grave". Entre os feridos também há dois alemães, dois australianos, um casal de neozelandeses e um búlgaro.

- Desaparecidos -

- Ignacio Echeverria, um jurista espanhol de 39 anos, especialista na luta contra a lavagem de dinheiro no HSBC em Londres, passeava com seus amigos quando os ataques aconteceram. Segundo seus amigos, ele tentou defender com o seu skate uma mulher que era atacada no Borough Market.

- Sara Zelenak, de 21 anos, uma australiana de Brisbane.

- Xavier Thomas e Sébastien Belanger: seus parentes e amigos estão à procura desses dois franceses.

- Socaine Drz, um jovem desaparecido desde sábado à noite.

AFP

 AFP