Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente do Banco Central da Venezuela, Nelson Merentes, durante coletiva de imprensa

(afp_tickers)

Dois assessores do ex-ministro venezuelano da Economia Nelson Merentes, dotados de passaportes diplomáticos, foram investigados por suposta lavagem de dinheiro em Andorra, um ex-paraíso fiscal na fronteira entre Espanha e França, publicou nesta terça-feira o jornal espanhol El Mundo.

Um relatório do grupo anti-lavagem da polícia de Andorra, realizado entre 2010 e 2012, "envolve dois funcionários do departamento dirigido por Nelson Merentes (...) Tulio Antonio Hernández Fernández e Gabriel Ignacio Gil Yánez", afirma o jornal, que publica um artigo assinado pelo Consórcio Iberoamericano de Jornalistas de Investigação.

O primeiro havia sido condenado na Venezuela em 1999 por narcotráfico, segundo o jornal. O segundo foi detido em 2010 pelo roubo de um avião, afirma o jornal sem informar a identidade de quem autorizou os passaportes.

"Se apresentavam como 'assessores do ministro de Economia e Finanças', segundo consta nas cópias dos passaportes diplomáticos consignados que formam parte da investigação" de Andorra, afirma o artigo, ressaltando que estes documentos foram emitidos pela chancelaria venezuelana em 30 de dezembro de 2004.

Ministro de Economia da Venezuela de 2004 a 2008, Merentes preside atualmente o Banco Central da Venezuela.

AFP