Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Alexa e Cortana, os assistentes pessoais da Amazon e da Microsoft, respectivamente, em breve poderão interagir entre si, anunciaram nesta quarta-feira os dois gigantes tecnológicos americanos

(afp_tickers)

Alexa e Cortana, os assistentes pessoais da Amazon e da Microsoft, respectivamente, em breve poderão interagir entre si, anunciaram nesta quarta-feira os dois gigantes tecnológicos americanos.

"Alexa poderá falar com Cortana e Cortana poderá falar com Alexa", disseram os dois grupos em um comunicado publicado pela Amazon.

A relevância desta colaboração reside em que os assistentes virtuais desempenham um papel central no cada vez mais concorrido mercado de alto-falantes inteligentes, no qual a rivalidade entre os sistemas Amazon Echo e Google Home se complicou com a chegada do HomePod da Apple.

Citado em um comunicado, Jeff Bezos, fundador e diretor-executivo da Amazon, afirmou que há lugar para vários assistentes pessoais, "cada um com acesso a diferentes dados e diferentes áreas especializadas".

Ambos os grupos prometem que os usuários de Alexa, o assistente da Amazon, poderão usar Cortana, o da Microsoft, para acessar seus e-mails, reconhecendo assim implicitamente o domínio do programa Outlook.

Já os usuários de Cortana poderão comprar na Amazon e utilizar o Echo.

"É uma prioridade crucial para nós garantir o acesso ao Cortana (...) em todos os lugares e em todos os suportes", disse Satya Nadella, CEO da Microsoft, também citado no comunicado.

Ambos os grupos disseram que a cooperação deve entrar em vigor antes do fim do ano.

Os assistentes pessoais e os alto-falantes conectados são especialmente estratégicos no comércio eletrônico, no qual o Google acaba de se posicionar na frente da Amazon, anunciando uma associação com o Wal-Mart, número um mundial de distribuição.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP