Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O astrofísico franco-canadense Hubert Reeves

(afp_tickers)

Ferrenho defensor da luta contra as mudanças climáticas, o astrofísico franco-canadense Hubert Reeves criticou duramente o presidente americano, Donald Trump, em entrevista à AFP.

"Ele é um ser um pouco primitivo, que aplica a noção de benefício imediato aos usos do petróleo", declarou o cientista, lamentando a decisão do chefe de Estado americano de retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris sobre o Clima.

"Mesmo no plano econômico ele se equivoca, e os chineses entendem melhor do que ele. Não se concentram mais nas energias fósseis", acrescentou Reeves, à margem de um encontro de astronomia no sudoeste da França.

"É evidente que o futuro da transição energética, o futuro do planeta, são as energias renováveis. Parece bem claro. Todo mundo entende isso, exceto o senhor Trump", enfatizou.

"Sabemos que temos carvão, ou petróleo, por um período de 20, 30, 50, ou 100 anos. Mas, para o futuro da humanidade, é preciso pensar em milhares de anos", acrescentou, recordando que 3.000 dos melhores cientistas do planeta confirmaram que o aquecimento global é fruto da atividade humana.

A respeito da possibilidade de a vida humana ser trasladada para outro planeta em caso de necessidade, o cientista opinou que não servirá de nada, se os humanos fizerem as mesmas coisas que fizeram na Terra.

"O mais importante é aprender a viver em harmonia com a natureza, não continuar saqueando nosso planeta. E o problema, além disso, é que os planetas B estão bem longe", concluiu.

AFP