AFP

Um disparo feito por um drone, provavelmente de origem americana, matou sete rebeldes na quarta-feira em uma zona tribal remota no noroeste do Paquistão, informaram nesta quinta-feira fontes da segurança paquistanesa

(afp_tickers)

Um disparo feito por um drone, provavelmente de origem americana, matou sete rebeldes na quarta-feira em uma zona tribal remota no noroeste do Paquistão, informaram nesta quinta-feira fontes da segurança paquistanesa.

Se confirmado, este seria o segundo ataque realizado por um drone americano sob a presidência de Donald Trump.

No início de março, um ataque com drone matou dois homens em uma motocicleta na mesma região, na fronteira com o Afeganistão, onde atuam grupos islâmicos locais há 15 anos.

Estes ataques de drones são muito criticados no Paquistão, uma vez que grande parte da população considera que violam a soberania nacional.

O ataque de quarta-feira ocorreu na região de Lawara Madi, no Waziristão do Norte, um dos sete distritos tribais do Paquistão.

"Recebemos informações sobre um ataque de drone no Waziristão do Norte, onde sete militantes foram mortos", disse à AFP uma fonte da segurança.

Autoridades locais também indicaram que drones foram avistados no céu antes de dois mísseis impactarem uma casa supostamente utilizada por membros do Tehreek-e-Taliban Pakistan, o movimento Talibã paquistanês.

"Dois comandantes insurgentes, Abdul Rehman e Mohammad Akhtar, estão entre os mortos", disse à AFP uma fonte de segurança que pediu anonimato.

Os investigadores consultados acreditam se tratar de um drone americano, mas não puderam confirmar esta hipótese.

AFP

 AFP