Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Café Capuccino, que foi atacado em 2016 por extremistas, em 10 de junho de 2017

(afp_tickers)

Três pessoas, incluindo um cidadão turco, morreram neste domingo no ataque contra um restaurante na capital de Burkina Faso, que deixou também vários feridos em estado "crítico", informaram duas fontes médicas à AFP.

"Evacuamos onze pessoas, mas uma morreu quando chegamos ao hospital. Se trata de um turco", disse um técnico da ambulância na condição de anonimato.

"Recebemos uma dezena de feridos, dos quais três morreram, a situação dos outros feridos é crítica", informou um cirurgião.

O exército de Burkina Faso lançou neste domingo um ataque contra supostos extremistas que atacaram um restaurante na capital do país. O incidente deixou pelo menos dois feridos, um deles estrangeiro, segundo constatou a AFP.

O restaurante Istambul, situado próximo a um café atacado por um braço da Al-Qaeda em 2016, foi "atacado por supostos extremistas" declarou à AFP um garçom do estabelecimento.

Dois feridos foram socorridos, mas que o tiroteio continuou.

"Três homens chegaram em um 4X4 às 21H30 horas (horário local), saíram do veículo e abriram fogo contra os clientes sentados no terraço" deste café frequentado por muitos estrangeiros, contou o garçom.

A polícia evacuou os civis antes da chegada do Exército, que iniciou imediatamente um ataque. Os tiros muito intensos no começo se tornaram mais esporádicos, segundo o correspondente da AFP.

Em janeiro de 2016 o país sofreu um violento ataque contra um hotel e um café da capital que deixou 30 mortos. A Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI) reivindicou o ataque, que atribuiu a seu grupo Al Murabitun.

AFP